Entenda como são monitorados os preços de medicamentos - Medicamentos - Notícias - CRF-MS

quarta, 10 de abril de 2013 às 15h59

Entenda como são monitorados os preços de medicamentos

As listas de preços de medicamentos podem ser consultadas pelo site da Anvisa. E nas farmácias e drogarias é obrigatória que ela esteja no balcão, ao alcance do consumidor

O monitoramento dos preços dos medicamentos nas prateleiras está a cargo da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que exerce a função de Secretaria Executiva da CMED (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos), órgão interministerial responsável por regular o mercado e estabelecer critérios para a definição e o ajuste de preços.

 

Além disso, a Anvisa monitora o mercado dos produtos para a saúde e, no momento da solicitação ou revalidação de registro, reúne informações econômicas de algumas classes desses produtos.

 

Publicado no último dia 4 de abril, o reajuste para este ano levou em conta o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), acumulado entre março de 2011 e fevereiro de 2012, os ganhos de produtividades das empresas e o valor dos custos de produção. O resultado foi a autorização de um reajuste de até 6,31% de acordo com o nível de participação de genéricos.

 

A fórmula de cálculo do reajuste de preço de medicamento no Brasil é definida pela Lei 10.742/2003, que estabelece à CMED a responsabilidade da adoção, implementação e coordenação de atividades relativas à regulação econômica do mercado de medicamentos.

As penalidades para o descumprimento de atos emitidos pela Câmara estão previstas no Código de Defesa do Consumidor instituído pela Lei 8.078/1990. São multas que podem variar entre R$ 212,00 e R$ 3,2 milhões.


A lista de Preços de Medicamentos, disponível pela página da Anvisa, contempla o Preço Fábrica ou Preço Fabricante que é o preço praticado pelas empresas produtoras ou importadoras do produto e pelas empresas distribuidoras. Preço Fabrica, conhecido como PF é o teto de preço pelo qual um laboratório ou distribuidor de medicamentos pode comercializar no mercado brasileiro um medicamento. Ou seja, é o preço máximo permitido para vendas de medicamentos destinadas a farmácias, drogarias, além das destinadas a entes da Administração Pública.

A lista determina ainda o Preço Máximo ao Consumidor – PMC, que como o próprio nome diz é o preço máximo permitido para venda ao consumidor, incluindo os impostos incidentes por Estado. Nesta categoria está o valor que só pode ser praticado por farmácias e drogarias, tendo em vista que este contempla tanto a margem de lucro como os impostos inerentes a esses tipos de comércio.

As listas de preços de medicamentos podem ser consultadas pelo site da Anvisa. E nas farmácias e drogarias é obrigatória que ela esteja no balcão, ao alcance do consumidor. Para conferir as lista de Preços Fábrica e Máximo ao Consumidor, clique aqui.

 

 

Fonte: Paula Maciulevicius, da Assessoria de Imprensa - Imprimir

Voltar

Notícias relacionadas

quarta, 13 de março de 2019 às 12h00 | Medicamentos

Anvisa informa sobre importação de vacinas contra gripe

Campanha de Vacinação contra a Gripe de 2019

segunda, 11 de março de 2019 às 15h30 | Medicamentos

Medicamentos sobem até 4,46% em 31 de março, segundo Interfarma

Aumento, previsto em lei, ocorre uma vez por ano

sexta, 08 de março de 2019 às 11h00 | Medicamentos

Ministério da Saúde anuncia nova modalidade de compra de medicamentos

A pasta irá adotar a modalidade de compartilhamento de risco na aquisição de medicamentos

quarta, 25 de julho de 2018 às 07h30 | Medicamentos

Fibrose cística ganha medicamento inédito no Brasil

A nova alternativa de tratamento é o Orkambi®

Av. Rodolfo José Pinho, 66 - Campo Grande - MS | 79004-690 - (67) 3325-8090 - crfms@crfms.org.br

Desenvolvido pela dedicada equipe